Pré operatório : Como se preparar para a cirurgia?

Pré operatório : Como se preparar para a cirurgia?

Por Dr. Nelson de Souza Liboni e Dr. Allyson Nakamoto

Compartilhe:

Passados a consulta médica, exames de diagnóstico e a conclusão do diagnóstico; a indicação de qualquer procedimento cirúrgico sempre gera apreensão e dúvidas.

Na maioria das vezes, a resolução da patologia diagnosticada é resolvida apenas com o procedimento cirúrgico. Assim, é importante que os riscos de complicações no período que chamamos de perioperatório (período que compreende o pré, durante e pós operatório) sejam os menores possíveis; por isso é importante que os pacientes realizem avaliação pré operatória a fim de se avaliar o estado atual de saúde e realizar os eventuais ajustes para minimizar os riscos de eventos indesejáveis decorrentes do estresse cirúrgico.

Uma das avaliações mais importantes é a avaliação cardiovascular, uma vez que pacientes portadores de história prévia de doença cardiovascular ou fatores de risco, apresentam maior risco para eventos cardiovasculares no período perioperatório além de elevar seu risco de morte.

Ao ser avaliado por um cardiologista, o médico buscará identificar as possíveis alterações e riscos e recomendar ao médico cirurgião quais os cuidados necessários para que eventos cardiovasculares (por exemplo: infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral) sejam minimizados.

Na avaliação cardiológica, alguns aspectos são fundamentais: história clínica - avaliar a história familiar e prévia para doenças cardiovasculares, alergias, medicamentos que faz uso, avaliação da capacidade funcional e fatores de risco cardiovascular; exame físico – buscar por sinais de cardiopatia preexistente, doenças neurológicas e renais, desnutrição, comprometimento hepático ou pulmonar; exames subsidiários – RX tórax, eletrocardiograma, exames laboratoriais, exames complementares quando necessários; algoritmos de avaliação pré-operatório – ASA, RCRI, ACP, EMAPO, dentre outros.

Muito mais importante que exames, é fundamental uma conversa franca entre paciente e médico de confiança, buscando-se melhores alternativas para um procedimento cirúrgico de sucesso e livre de intercorrências.

Procure sempre seguir as orientações do seu médico de confiança e esclareça todas as dúvidas que tenha sobre o procedimento e as etapas que estarão relacionadas a ele; com isso terá maior confiança no sucesso do procedimento e melhores chances de recuperação.

Dr. Allyson Yukio Koda Nakamoto
cardiologista
Praça Amadeu Amaral, 47 - Cj. 111
Fone: (11) 966459939

Referências bibliográficas
  1. 3ª Diretriz de Avaliação Cardiovascular Perioperatória da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arq Bras Cardiol. 2017; 109 (3supl.q):1-104
  2. 2014 ACC/AHA Guideline on Perioperative Cardiovascular Evaluation and Management of Patients Undergoing Noncardiaca Surgery
  3. ESC/ESA Guidelines on non-cardiac surgery:cardiovascular assessment and management – Esc Clinical Practice Guidelines – Eur Heart J (2014) 35, 2383-243

Notícias